Violência contra mulher 22/02/2019 12:57

Situação a)

Ele grita muito comigo, mas nunca me tocou!

situação b)

Ele ameaça com a mão fechada bem perto do meu rosto. Mas nunca me bateu.

situação c)

É um ótimo pai p crianças. Só que perde o controle facilmente.

situação d)

Ele me empurra, pega meu dinheiro, so me faz passar vexame com meus amigos...mas é meu irmão, neh?

Todo violência física, sexual e moral, deve ser denunciada.

Às vezes demoramos para perceber que somos vitimas. Talves pelo apego ao agressor; talvez pela falta de oportunidade e alternativas de criar os filhos dessa união, sozinha; Talvez, por falta de amor próprio que nos faz não vermos que merecemos uma relação afetiva, amorosa e não dolorosa.

Se você é vítima de violência, seja ele qual for, seja qual for sua profissão, sua condição social e moral, conte para sua família, para seu ou sua terapeuta, para seus amigos. 

A vergonha não é sua. É do agressor. E isso pode acontecer com qualquer pessoa.

Procure ajuda, você não está sozinha:

Em Suzano existe uma rede de atendimento que, além da Patrulha, inclui a Delegacia da Mulher (4748-8040), Sala Rosa da Comissão da Mulher Advogada (4738-7573), Patrulha Maria da Penha da Guarda Civil Municipal (4745-2150), Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres (4742-7100), Rede de Atenção à Pessoa em Situação de Violência Doméstica e/ou Sexual (4745-2092), Saspe/Promotoras Legais Populares (4743-1600), Casa de Acolhimento, Disque Denúncia (180), Homens Pelo Fim da Violência Contra a Mulher (4759-2284) e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social, o Creas (4743-2588).

 

 

Desenvolvido por: